segunda-feira, fevereiro 03, 2014

Orgulho e Preconceito



Acho que já ficou BEM claro que amo livros de romance e como minha mãe sempre gostou do filme Orgulho e Preconceito resolvi comprar o livro para conhecer a história mais detalhadamente. Ultimamente não tenho lido muito (não sei o motivo), mas terminei hoje o livro e fiquei... PASMA! No sentido positivo. Em minha humilde opinião Jane Austen é uma das melhores, se não a melhor, escritora de romances! Vamos então à resenha:



AVISO: Este texto pode conter spoiler e irá conter a palavra “Bennet” repetida inúmeras vezes!


Fórmula matemática da família de Elizabeth:

Sr. e Sra. Bennet + (Srta. Bennet X 5) = Família Bennet


  Deus! Como pode um livro nos envolver tanto? Ok, ok, pergunta boba. Uma história delicada, emocionante, que envolve opiniões e críticas, pessoas de classes diferentes e muito bom humor. O livro retrata, inicialmente, a família Bennet: Sr. e Sra. Bennet e suas 5, exatamente, nem 3, nem 4, CINCO filhas!, Jane, Elizabeth, Mary, Catherine e Lydia. Qual será o objetivo da mãe de todas essas donzelas? Uma palavra: casamento. Sra. Bennet é a típica mãe que faz de tudo para ver pelo menos uma das filhas casada, de tudo mesmo, e até que todas estejam unidas em matrimônio com um rapaz com posses que possa dá-las conforto e uma renda anual boa, ela não vai sossegar.



(3ª imagem: Você me enfeitiçou de corpo e alma, e eu lhe amo, eu lhe amo, eu lhe amo)

  E que tal se aparecer um vizinho solteiro, jovem, bonito, agradável e, como diz Lizzy, convenientemente rico? Com uma renda anual de 4 mil libras! Nesse momento Sra. Bennet já está se preparando para o ataque! hahaha Como se fosse uma competição de quem visita o novo morador primeiro, a senhora começa a perturbar o descanso de seu marido na biblioteca (o único lugar no qual ele tem paz, ou deveria ter), insistindo para que visite o Sr. Bingley, pois logo, logo haveria um baile no condado e precisava apresentar as meninas ao rapaz. Ninguém sabia que o Sr. Bennet já o havia feito, tinha visitado o jovem nessa mesma manhã.


Enfim o baile! Enquanto todos dançavam animadamente a música sessou de repente, abriram-se as portas e entraram pessoas desconhecidas dentre elas: Sr. Bingley e seu amigo Sr. Darcy. De cara o primeiro se tornou querido de todos os presentes porém seu amigo, o misterioso, orgulhoso e insociável Sr. Darcy, estava com uma cara de quem fazia um grande esforço para não sair correndo do local e se livrar de toda aquela gente. Sr. Bingley parecia encantado com Jane, seus temperamentos eram muito parecidos, a condição social dela não importava para ele, pois estava apaixonado. Os cavalheiros eram escassos e haviam mais de 2 damas sentadas sem par, no entanto, Darcy fazia-se de cego com relação a isso, até seu amigo tentar fazer-lhe dançar com a Srta. Elizabeth Bennet, o problema foi o seguinte:


- Você está dançando com a única menina linda do salão - disse Sr. Darcy, olhando para a mais velha das Srtas. Bennet.

- Ah! Ela é a criatura mais linda que já vi! Mas uma das irmãs dela, sentada logo atrás de você, é muito bonita e parece ser bem divertida também. Deixe-me pedir ao meu par que a apresente a você.

- A quem você se refere - e, voltando-se, olhou por um momento para Elizabeth, até que, cruzando seu olhar com o dela, desviou-o e disse friamente: - É suportável, mas não bonita o bastante para me animar; não estou com paciência no momento para dar atenção a mocinhas desdenhadas por outros homens. Vá, volte para junto de seu par e aprecie os sorrisos dela, pois está perdendo tempo comigo.

Sr. Bingley seguiu o conselho. Sr. Darcy afastou-se; e não foram sentimentos cordiais os que Elizabeth sentiu por ele.




(Sr. Darcy: Então, o que você recomenda para encorajar a afeição?
Elizabeth: Dançar. Mesmo que a parceira em questão seja apenas tolerável.)


Ai! Essa doeu até em mim, pobre Lizzy, ainda bem que Deus a abençoou com muito senso de humor e se divertia com tudo que fosse ridículo. Depois desse acontecimento os julgamentos positivos e negativos começam a aparecer, e com isso os equívocos irão surgir. Desse dia em diante estava claro para sra. Bennet de que em breve teria uma filha casada, pois sr. Bingley estava impressionado com tamanha beleza de Jane.



  Enquanto iam para Meryton junto com o primo Sr. Collins (Jane Austen que me desculpe, mas ô homenzinho irritante e ignorante!), pois Lydia e Kitty estavam afoitas para ver os oficiais que se estabeleceram lá, as jovens conheceram o agradável sr. Wickham, um homem bonito, educado, e que conquistou a atenção de toda a vizinhança por seus bons modos. Este logo foi considerado por Elizabeth uma criatura que valeria a pena conhecer melhor.



  Enfim, o baile de Netherfield! O tão aguardado foi realmente espetacular, tirando o fato de que Lizzy tivera que dançar com Sr. Collins e que Wickham não havia comparecido, estava tudo bem até o momento no qual ela e Charlotte, sua amiga, foram abordadas pelo Sr. Darcy que pediu a mão de Elizabeth para a próxima dança (ai que romântico... *.*). Os Beneet foram uns dos últimos a irem embora, logo após o baile Jane recebeu uma carta, carta essa que continha uma péssima notícia, a notícia que a fez ir para Londres passar uns tempos com os tios e se recuperar. Mas antes disso, Charlotte se casara com Sr. Collins e fora morar perto da casa da protetora do marido Lady Catherine De Bourgh, e convidara Lizzy para ir visitá-la, quem diria que essa viagem da Srta. Bennet fosse render tantas surpresas! Tantas revelações, e até um.... Opa, não vou falar, se não seria spoiler de mais haha. 



  Enquanto estava na casa de Charlotte, Eliza encontrou algumas vezes Darcy, por ele ser sobrinho de Lady Catherine, e isso gerou mais confusões na cabeça da jovem, seus sentimentos, os acontecimentos, tudo era confuso demais...





Confuso até o momento em que Darcy lhe deu uma carta, explicando tudo, carta essa que fez Lizzy ficar com raiva de si mesma por ter feito julgamentos tão precipitados. Agora estava tudo perdido, como fora tola! Mas como os antigos dizem "tudo tem uma solução", e sempre, sempre, tudo acaba bem, pode demorar, porém tem um final feliz. Como? Leia que você vai saber ;) Ai, ai, como eu gostaria de ter um sr. Darcy em minha vida! hahaha


Ficha Técnica:
Autor: Jane Austen
Editora: Martin Claret
Gênero: Romance
Páginas: 469
Nota: 10/10

OBS:. A versão da editora Martin Claret contém alguns erros de ortografia, mas a capa é linda!
OBS2:. O livro já virou filme, e está disponível no youtube, vou colocar o vídeo no final do post! Aproveite, o filme é incrível! Mas, como sempre, o filme não é tão detalhado como o livro.


"Tentei lutar, mas em vão. Não consigo mais. Não posso reprimir meus sentimentos. Você tem de me permitir dizer com quanto ardor eu admiro e amo você"

(Sr. Darcy)





Se quiser acompanhar o Contra Capa:
|   Twitter   |   Facebook   |   Youtube   |   Instagram   |





3 comentários:

  1. Gostei da resenha! Sempre achei que esse livro devia ser parado e difícil de entender, mas pelo jeito não é. Espero algum dia poder ler. :)

    Bjos
    livrosquefazemsonhar.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que você leia sim, sou suspeita em falar, mas é incrível como Jane Austen pôde me atrair desse jeito! Recomendo (muito) que você assista o filme, é lindo! O filme completo está na própria postagem, eu sei quase todas as frases de cor hahaha

      Beijos

      Excluir
  2. MUITO BOM, PARABÉNS, VOCÊ DEVE SER ESCRITORA QUANDO CRESCER!!! TEM FUTURO!!!

    ResponderExcluir